15.9.08

O fim das estradas utópicas leva desgraçadamente a becos onde circulam tartarugas. Há quem veja, e é realmente visível, o avanço na questão dos direitos humanos, na legislação, na constituição de 1988. Ainda que pareça absurdo escrever que "toda criança tem direito à vida", o absurdo não está na lei: está na história que faz as leis necessárias. Mas, se há avanços, há recuos: tais direitos já pertenceram a um plano de idéias maior, mais alto, tão alto que transpunha fronteiras nacionais. Agora, consolida-se o pensamento de um Fernando Pessoa, a dizer que não existe idéia mais abstrata que o conceito de humanidade; de concreto mesmo, só a pátria. A segunda desgraça é que nem toda pátria é concreta; é ilusória a visão dos avanços e da conquista de direitos via legislação, se ela não é cumprida, se os transgressores não são punidos. De toda maneira, a chave da sucessão de desgraças do nosso tempo está no momento quando decidimos que exigir o impossível era algo irreal.

Um morimbundo René, n'As invasões bárbaras, diz que conhecer a História vendo como fomos piores é bom para nos acalmar. Só não diz qual remédio para o enjôo que cotidianamente nos consome, levados pelos caminhos lentos da humanidade, limitados pelas horas rápidas da vida, incrédulos das veredas passadas, descrentes das trilhas futuras, chateados pelas cores cinzentas e paradas da paisagem.

3 comments:

Leco Vilela said...

é meio infantil pensar, mas talvez seja essa a solução, pegar uma aquarela na mão e ir pintando aos poucos o que é cinza. É claro que nesse processo vão acizentar o que você coloriu, mas pensa que tudo isso é como um rio que corre e pelo onde você está pintando, está colorido, alguem um dia passa, alguem um dia vê, você já fez a diferença antes mesmo dessa pessoa aparecer.

Amanda Lacerda said...

Oi, Rok!
Fiquei feliz com tua visita. "O pós-moderno duvida de tudo. É cartesianamente ortodoxo." Genial!rs. Gosto muito dos textos do Frei Beto, e esse me apareceu num momento bem oportuno.
Sobre o livro do Arbex, conheço sim... até cheguei a ir numa aula magna dele com essa temática. Figuraça o cara...rs

Bjos
Amanda

carol said...

shh, não espalha, não quero ser presa antes de concluir o ensino superior.