26.1.09

E ela, que parece tão bonita, nem repara onde estou. E eu, que fiquei tão sem lugar, nem sei para onde vou. E as lágrimas, que correm tão docemente, vão salgando minha boca. E meu olhar.

2 comments:

Amanda Lacerda said...

Gostei do texto. Muito sensível e comovente. Mas senti falta da sua ironia, que é um charme.

Roberta said...

poético...